ATUALIDADES - PARA PROFISSIONAIS

SOBRE CURRÍCULOS

Cuidar bem da carreira e do currículo poderá lhe render bons processos seletivos. Acompanhe algumas sugestões.

Nome: Apresente-o em destaque no inicio do currículo.

Contatos: Mantenha-os sempre atualizados, endereço, telefones e e-mail, se preferir, você poderá informar somente o bairro, município e estado.

Área ou Cargos de interesse: Também deverão aparecer em destaque.

Síntese:   Em poucas linhas   (4 ou 5) apresente   um pequeno  resumo de  sua
experiência profissional (opcional).

Graduação: Para graduação técnica ou universitária, informe o curso, a instituição e o status (previsão de término ou se concluído). Se tiver somente ensino médio, informe apenas o nível de graduação e status - Ex.: Ensino médio concluído (é desnecessário informar a instituição).

Histórico profissional: Organize três a quatro empresas mais recentes em ordem cronológica decrescente. Informe o nome da empresa, mês/ano de entrada e saída, cargos ocupados e um resumo das principais atividades.

Informática: Especifique o grau de conhecimento na operação das aplicativos do Office, programas específicos e sistemas integrados.

Idiomas: Informe os idiomas, grau de proficiência e se os estudos estão em andamento.

Cursos /Treinamentos: Informe os mais recentes e principais cursos direcionados à sua carreira, identificando mês/ano e carga horária.

Trabalho social/voluntário: Se você participa efetivamente de algum trabalho voluntário informe, caso contrário, não registre ações isoladas.

Informações complementares: Neste campo você pode incluir informações como disponibilidade de horário, viagens ou residência em outras regiões, facilidade de acesso aos meios de transporte ônibus, trem, metrô ou outras informações que julgar necessárias.

Crédito: TopWork RH

Próximo Tópico >> Currículo Bem Cuidado
• Padrão: Não existe um padrão determinado a seguir, mas é através do currículo que apresentamos inicialmente nossas qualificações, estudos, domínios técnicos, manuais ou intelectuais.

Por este motivo precisa ser bem elaborado, conter informações verdadeiras e relevantes que despertem o interesse do avaliador. Não se esqueça que o objetivo é ser convidado para uma entrevista onde poderá apresentar suas vivências.

Atualização: Oportunidades podem surgir quando menos esperamos, por isto, mesmo que esteja trabalhando mantenha seu currículo atualizado.

Texto bem cuidado: A linguagem utilizada deve ser clara e objetiva, tenha cuidado com erros ortográficos, gramaticais ou de concordância. Faça uma revisão minuciosa, peça ajuda se for preciso.

Fonte: Selecione uma fonte de traços simples, aspecto ”limpo” (Arial, Verdana, Century Gothic...) e tamanho legível (11 ou 12). Somente os tópicos importantes devem estar em negrito. Evite usar mais de uma fonte, itálicos ou todo o texto em letra maiúscula.

Tamanho do currículo: Duas folhas são suficientes, se não couber, verifique se há informações desnecessárias que podem ser excluídas (empresas, cursos muito antigos ou fora da área de atuação). Você também pode reduzir as margens ou o tamanho da fonte, desde que não comprometa a legibilidade.

Fotografia: Não há necessidade de manter foto no currículo, se solicitado, que seja descreta.

Impressão: Se possível utilize uma impressora laser, o resultado gráfico é muito bom e não mancha em contato com água.

Cor do papel: Prefira papel branco ou tons bem claros como bege, salmon, amarelo, azul...

Carta de apresentação: Pode ser usada em algumas ocasiões (indicações, respostas aos anúncios dirigidos ou quando souber o nome do gestor da vaga), mas é opcional.

Dica importante: Salve o arquivo do currículo com seu nome e profissão ou cargo de interesse. Ex.: João da Silva – Engenheiro Mecânico, Mariane Andrade – Analista Financeiro... Isto facilita a rotina do Selecionador e permite melhor direcionamento para leitura, arquivo (oportunidades futuras) ou até indicação para outros processos.

Crédito: Top Work RH

Próximo Tópico >> O que evitar?
Informações desnecessárias: A palavra “currículo” ou “curriculum vitae” no alto da página, filiação, naturalidade, numero de documentos ou citações religiosas.

Adjetivos no endereço de e-mail: É inadequado usar adjetivos como bonitão, manhosa, lindinha no seu endereço de e-mail.

Auto avaliação: Você pode registrar resultados positivos por ações junto à
equipe, projetos inovadores, soluções..., mas evite autopromoção ou afirmações como, “eu consegui”, “eu fiz”... Não há necessidade de destacar suas competências comportamentais, pois serão devidamente avaliadas durante o processo seletivo.

• Contradições: Em hipótese alguma invente datas, cargos ou atribuições nunca exercidas e não minta quanto ao grau de proficiência em idiomas.

• Referências profissionais: São informações a serem apuradas diretamente pela empresa contratante.

• Informações antigas: Empresas e cursos muito antigos ou fora da área de atuação devem ser desconsiderados.

• Remuneração: Para discutir esta questão é importante estar bem informado sobre o universo da empresa, atribuições, grau de responsabilidade e expectativas quanto aos resultados. Você também pode registrar uma faixa de negociação. Mostre-se flexível, pois existem outros pontos importantes a serem considerados numa negociação como pacote de benefícios e plano de carreira.

• Assinatura: Não é necessário.

Crédito: Top Work RH

Voltar ao Início >> Tópicos Importantes
Muitos profissionais não percebem, mas deveriam usar o momento da entrevista para captar informações e investigar sobre a empresa. Todo processo seletivo deve ser mútuo. Prepare-se!

• Organize as informações de sua carreira: Você deve ter em mente, de forma organizada, tópicos importantes sobre sua qualificação e evolução de carreira. Deixe tudo setorizado, práticas administrativas, operacionais e de gestão se for o caso, informática (Aplicativos do office, programas específicos e
sistemas integrados), outras ferramentas aplicadas, idiomas, treinamentos, conquistas e resultados junto ao grupo. Observe que não estamos falando de um longo texto decorado, mas sim de tópicos organizados de forma a permitir que as informações fluam naturalmente e o seu discurso seja seguro e rico em detalhes.

• Navegue no site: É fundamental participar de um processo seletivo, sabendo do universo corporativo, linhas de negócio, campos de atuação, porte e cultura da empresa. Isto lhe dará subsídios para manter um diálogo ou explorar estes temas na entrevista. Sim, você também deve fazer perguntas!

• Não se atrase: Imprevistos podem acontecer, atrasos causam muito desconforto, por isto você deve sair com antecedência já sabendo do percurso. Tenha fácil o número do telefone da empresa, pois se algo acontecer, será imprescindível dar uma satisfação e justificar o possível atraso.

• Cuidados com a apresentação pessoal: Cabelos, unhas, dentes, roupas, acessórios, perfumes, maquiagens... Tudo deve ser cuidadosamente selecionado e sem exageros. Discrição é a melhor escolha sempre!

Cumprimento: Ao cumprimentar seu avaliador faça-o com entusiasmo e simpatia, dê um firme aperto de mão, sorria e agradeça pela oportunidade.

Olho no olho: É bem importante manter o contato visual, que acontecerá naturalmente se você estiver preparado, seguro e tratando suas respostas de forma verdadeira.

Fale e deixe falar: A ansiedade pode fazer com que você “atropele” seu avaliador não permitindo que complete perguntas ou faça comentários. Respire, dê espaço, ouça, pense e responda sem perder o foco ou fazer longos discursos.

A verdade sempre!: Em hipótese alguma minta ou valorize conhecimentos e atribuições que pouco domina, evite constrangimentos.

Créditos: Top Work RH
Muitas vezes percebemos a dificuldade em persuadir o outro a “comprar” as nossas ideias. Isso pode ser explicado pelo fato de que as pessoas, além de serem diferentes, possuem necessidades e motivações diferentes, o que força a nossa capacidade de adaptação em saber lidar com cada personalidade e situação. Até mesmo dentro de casa podemos ver um exemplo dessa adaptação. As crianças começam a perceber desde cedo que a melhor maneira de pedir algo para o pai pode não surtir efeito com a mãe. Dessa maneira, criam maneiras e estratégias diferentes para falar com cada um e conseguir o que querem. Tendo em vista a existência dessas particularidades, é preciso ter tranquilidade e inteligência para lidar com pessoas totalmente diferentes, com humores, gostos e atitudes às vezes totalmente distintos. Por exemplo, quando apresentamos um projeto a uma pessoa perfeccionista, devemos adaptar nosso discurso baseado nas preferências e características desse perfil profissional, como: preparar os temas antecipadamente, ser realista com prazos, mostrar-se organizado, exibir detalhes das etapas. Caso isso não seja feito, provavelmente o trabalho não transmitirá confiança e essa pessoa, consequentemente, poderá não comprar a ideia. Com um cenário repleto de novas ofertas, a postura do profissional também precisou se moldar para conquistar espaços cada vez mais competitivos.

Sendo assim, seu poder de persuasão precisou se tornar muito mais eficaz. Além de todas as outras características citadas e que precisaram ser modeladas para agradar ao perfil do novo consumidor. Podemos citar outros pontos que também fazem a diferença numa negociação.

ORATÓRIA

São características de um bom orador a habilidade com as palavras e também a postura que acompanha o discurso. Escolher as melhores palavras e, com elas, a expressão corporal, transmitem o poder de convencer, liderar, comover, instigar, direcionar e, principalmente, de mover almas e mentes. O negociador, para se sobressair, precisa conquistar a arte de falar bem. Aquele que consegue fazer isso reveste a palavra de um poder de convencimento, passando convicção, criando influência, fortalecendo o relacionamento para chegar ao resultado almejado. Existem várias formas de falar de maneira influente, e esta, como qualquer outra habilidade, pode e deve ser treinada.

ARGUMENTAÇÃO

Além de uma boa locução, devemos apresentar de maneira lógica e racional quais serão as vantagens do seu interlocutor ao negociar com você. É nesse momento que entra o poder da argumentação, com exposição de números e resultados que possam provar a eficiência de tal projeto/ideia. Ou seja, trata-se de promover a aceitação por meio da racionalidade exposta com dados e pela empatia e comprometimento do apresentador. Os números são importantes, mas a identificação pessoal também afeta o relacionamento profissional.

CONHECIMENTO

Mostrar domínio sobre o assunto estimula a confiança por parte do ouvinte, além de nos fortalecer na oratória, pois quando falamos em público e temos pleno conhecimento sobre o que se fala, aproveitamos melhor a nossa fala e promovemos ainda mais a persuasão. Para fazer uma negociação rica, pesquise, junte informações da concorrência e cite informações relevantes e úteis ao negócio. Isso ajudará o diálogo, fazendo com que não fique muito repetitivo e, ao mesmo tempo, fixe a mensagem. Assim, após todas essas fases e muito treino, poderemos alcançar o tão esperado “sim” na negociação. Há um famoso provérbio chinês que diz: “Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”. Essas oportunidades passam diante de nós muitas vezes, e bons negociadores devem saber usar os melhores artifícios para não perder qualquer uma delas.

Fonte: Bernt Entschev (texto parcial)